Igrejas artsy: quando a arte encontra a fé

Conheça os templos decorados por Matisse, Chagall, Picasso, Rothko

Se Michelangelo eternizou a Capela Sistina com seus afrescos, outros monumentos religiosos também exibem as pinceladas de artistas modernos e contemporâneos como Henri Matisse (na Capela do Rosário, em Vence, na França), Dan Flavin (na Igreja Santa Maria Annunciata, em Milão, Itália), Pablo Picasso (na Capela de Vallauris, na França) ou Mark Rothko (na Capela Rothko, em Houston, Estados Unidos). Nas imagens abaixo, descubra esses locais de culto ao sabor arsty.

Capela do Rosário, Henri Matisse – Vence, França

Decorada por Henri Matisse, a Capela do Rosário de Vence, conhecida como a Capela Matisse, foi construída entre 1949 e 1951 pelo arquiteto Auguste Perret. O artista francês assume sua decoração em nome da amizade com as irmãs dominicanas do local, em especial Jacques Marie, que cuidou de Matisse como enfermeira. Ajudado pelos irmãos dominicanos, ele transformou o local em uma obra de arte total, contemplando arquitetura, cerâmica, vitrais, escultura, móveis e, claro, cores e desenhos. “É o culminar de uma vida inteira de trabalho”, declarou o próprio, que demorou três anos para finalizar a obra.

https://no-one.la/wp/wp-content/uploads/2017/12/5f212dcb1cfb3c40e055f18b066d7cfd.jpg

Igreja Santa Maria Annunciata, Dan Flavin – Milão, Itália

A igreja milanesa Santa Maria Annunciata esconde uma joia de arte contemporânea do artista Dan Flavin, que criou uma instalação luminosa colorida. O trabalho contrasta com a arquitetura austera do edifício construído na década de 1930 pelo italiano Giovanni Muzio. Foi durante as obras de renovação em 1996 que o religioso Giulo Greco decide dar carta branca ao artista americano. Inaugurado em 1997 postumamente, os neons vestem o local de azul, rosa e amarelo, um testemunho da estética tão particular de Dan Flavin.

All Saints’ Church Tudeley, Marc Chagall – Tudeley, Inglaterra

Anexa à diocese anglicana de Rochester, a Igreja Tudeley, na Inglaterra, ficou famosa pelos seus vitrais azuis. O responsável por eles é ninguém menos que Marc Chagall, que hesitou a aceitar o convite para decorar uma das janelas, mas acabou gostando tanto do resultado que decidiu fazer todos os vitrais do edifício. A sensibilidade dos desenhos e a harmonia das cores são evidenciadas pela luz em um resultado transcendental, diferente dos vitrais das catedrais de Metz e Reims e a da sinagoga do Hospital Hadassah em Jerusalém, também assinados pelo artista.

Capela de Vallauris, Pablo Picasso – Vallauris, França

Instalada no subsolo do castelo, a Capela de Vallauris exibe em suas paredes as obras A Guerra e A Paz, de Pablo Picasso. A escolha partiu do próprio pintor espanhol, que morou no vilarejo entre 1948 e 1955.

Capela de Barolo, Sol LeWitt – La Morra, Itália

Localizada nos vinhedos de Brunate, a capela construída em 1914 colore hoje o Vale do Piemonte. Após a compra da propriedade pela família Ceretto na década de 1970, o artista americano Sol Lewitt realçou a fachada do edifício com cores vivas, fazendo-o destoar da paisagem italiana.

Capela de Rothko, Mark Rothko – Houston, Estados Unidos

Em 1964, o casal de mecenas Jean e Dominique de Ménil convidaram o pintor americano Mark Rothko para decorar a capela Texana construída por vários arquitetos, de maneira sucessiva: Philip Johnson, Howard Barnstone e Eugene Aubry. Fiel ao seu estilo, Rothko criou um ciclo de catorze pinturas negras em vários tons, que oferecem uma luminosidade apesar das cores. Mais: a capela fica em frente à uma escultura de Barnett Newman, Broken Obelisk. Um verdadeiro reduto de arte contemporânea.

Unique Fashion Team

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *