De botões a franjas: a marca australiana que une sustentabilidade e elegância

Hoje, a moda é a segunda indústria mais poluidora do planeta – seria possível encher, anualmente, 32 milhões de piscina olímpicas com toda a água usada para produção de roupas global . E se a moda parece ainda estar caminhando lentamente em direção a um futuro mais sustentável – grandes grifes como Gucci apenas prometeram parar de usar pele animal neste há poucos meses – o diálogo sobre o custo ambiental da moda para o planeta parece estar se expandindo e conquistando uma nova geração. Um exemplo: a australiana Kitx, fundada por Kit Willow que une peças bem pensadas com compromisso de minimizar o impacto no meio-ambiente.

“Não é sobre o meu cliente pensar, ok, eu só vou caçar uma marca sustentável e comprá-la se eu gostar ou não”, explicou Kit em entrevista à Vogue. Na sua coleção, slip dresses de seda orgânica, detalhes em franjas produzidas em colaboração com um coletivo bengalês e blazers de lã com botões de corozo – um detalhe que parece pequeno, mas com um impacto profundo.

Feito a partir do fruto de uma palmeira, o botão de corozo era muito usado nos anos 30 e foi sendo substituído por plástico e outros materiais ao longo das décadas. A matéria-prima cai naturalmente da árvore de onde deriva pode ser compostada e reaproveitada ao invés de ficar parada num aterro. Kit ainda usa Econyl, uma tecido criado a partir de redes de pesca descartadas, para fazer maiôs e bodies. Já a polpa de abacaxi vira um material que imita viscose.

A aposta da designer é olhar para trás para reciclar daqui para frente. “Eu vi numa exposição do V&A que em 1910, queriam produzir organza a partir de abacaxi”, disse Kit, que lança coleção-cápsula na Selfridges neste verão. “É preciso olhar para essas coisas e tirar esse lixo do passado para preparar o futuro”, finalizou.

Unique Fashion Team

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *